quarta-feira, 28 de dezembro de 2016


Não sei dizer que te amo
E amo as árvores erguidas à semente azul ao sonho
muito antes do anoitecer.
Que trigal vem ao meu canto?
Que ferida aberta
 atravessa devagar a luz funda descoberta?
Não sei dizer que te amo
e o que amo.


mariagomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário